O leite materno é o melhor e mais completo alimento para o bebê. Isso é do conhecimento de todos nós. Além disso, ele fortalece o sistema imunológico da criança, protegendo-a contra muitas doenças.

A campanha Agosto Dourado chama a atenção para o envolvimento de todos – mães, pais, familiares e amigos – sobre a importância e os benefícios da amamentação. A Unidade de Pronto Atendimento 24 horas – UPA Zona Sul de Macapá – adere à iniciativa com seus profissionais dando orientações aos pacientes sobre as vantagens do aleitamento materno, durante os atendimentos rotineiros, especialmente neste mês de agosto.

Rarifela Cutrim, médica da UPA Zona Sul, orienta que até o sexto mês de vida, o bebê seja alimentado exclusivamente com leite materno. Após este período, a amamentação deverá ser complementada por outros alimentos, de acordo com a orientação médica. “O leite materno tem muitos nutrientes e muitos benefícios a criança. Garante a imunidade, pois a mãe passa anticorpos para o filho durante a amamentação. Além disso, é barato e acessível”, observou.

A médica recomenda as mães que façam o aleitamento materno para melhorar a saúde do bebê. “A amamentação traz muitos benefícios não só para o bebê como também para a mãe”, assegurou Cutrim.

 

Os benefícios da amamentação:

Para a mãe:

– Perda de peso após o parto.

– O sangramento pós-parto diminui.

– Reduzem as chances de desenvolver anemia, câncer de mama e de ovário, diabetes e infarto cardíaco.

– Favorece a relação afetiva com o bebê

 

Para o bebê:

– Durante a amamentação, o bebê recebe os anticorpos da mãe para proteção contra diarreia e diversos tipos de infecções, principalmente as respiratórias.

– O leite materno diminui as chances de o bebê desenvolver alergias, colesterol alto, diabetes e obesidade.

– O aleitamento materno também ajuda a criança a desenvolver-se bem, fisicamente e emocionalmente.

– É importante para que a criança tenha dentes fortes e bonitos.

– Contribui também para que o bebê tenha uma boa respiração.

 

Dicas para uma boa amamentação:

– Antes de amamentar, lave bem as mãos.

– Deixe que primeiro o bebê esvazie bem uma mama, para só depois oferecer a outra, isto se ele não estiver satisfeito.

– O leite do fim da mamada é mais rico em gordura, sendo assim, satisfaz mais o bebê e o ajuda a ganhar mais peso.

– O bebê deve estar bem posicionado no colo da mãe durante a amamentação;

– A boca do bebê deve abocanhar toda a aréola da mama

 

Banco de Leite Humano

No Amapá, existe o Banco de Leite Humano da maternidade Mãe Luzia, na esquina da Avenida FAB com a Rua Jovino Dinoá, no Centro de Macapá. O espaço funciona 24 horas por dia.

Atualmente, o BLH conta com 75 mães doadoras voluntárias cadastradas. O número já chegou a ser bem maior, mais de 100 doadoras.

Darcineide Alves Dias, coordenadora do Banco de Leite Humano, conta que, hoje, o estoque de leite está muito baixo. “Neste mês, houve uma queda de 40%. Temos 42 bebês em tratamento na maternidade e o estoque não atende a demanda”, lamentou.

 

Doações

Para ser uma doadora voluntária de leite ou receber orientações sobre amamentação, basta ir ao Banco de Leite Humano ou entrar em contato através dos números (96) 32258732 e (96) 98115-9018. Também é possível encaminhar e-mail para [email protected] . A equipe de servidores vai até a doadora.

Ela precisa ter em mãos o cartão de pré-natal e, caso seja necessário, serão refeitos no próprio local os testes rápidos para comprovar a saúde da voluntária. Caso ela seja aprovada, um cadastro será feito e ela receberá orientações sobre a assepsia da mama e os cuidados com o armazenamento do leite.

A doadora pode entregar os recipientes com o leite no próprio Banco de Leite ou requisitar que a equipe de captação busque o leite na residência.

 

Agosto Dourado

A Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), definida pela Aliança Mundial para Ação em Amamentação (WABA, sigla em inglês), acontece anualmente em agosto. É quando é realizada a campanha Agosto Dourado.

O tema da iniciativa deste ano – Empoderar as Famílias para Facilitar a Amamentação – tem como objetivo enfatizar a importância do envolvimento de todos os familiares próximos, e não apenas da mãe, para que seja possível o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e de forma complementar até os dois anos de idade.

No Brasil, desde 2007 as ações da SMAM são coordenadas pelo Ministério da Saúde, em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Apesar desse trabalho contínuo, dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que somente 40% das crianças têm amamentação exclusiva nos seis primeiros meses de vida.

Conforme demonstram diferentes pesquisas, uma melhora desse quadro deve passar necessariamente pela elaboração de políticas de proteção social, que garantam a pais e mães licença remunerada com financiamento público, assim como legislação e locais de trabalho amigáveis. A aplicação dessas medidas é essencial para promover a amamentação, a saúde e o bem-estar de forma ideal, bem como proteger contra a discriminação no trabalho.

O benefício da licença-maternidade de 180 dias já é praticado no setor público e por algumas empresas privadas em nosso País. No entanto, é preciso ampliar o direito a todas as mães e, além disso, garantir a possibilidade de mais participação dos pais nesse processo, que atualmente têm apenas cinco dias para ficar com a família.

No Amapá, a programação do Mês da Amamentação será aberta no dia 3 de agosto, no Museu Sacaca, com dezenas de mães amamentando seus bebês ao mesmo tempo. É o tradicional momento do “Mamaço”.

A programação da Semana Mundial do Aleitamento Materno vai prosseguir nos dias 6, 7, 8 e 9 com palestras, mesas redondas e oficinais voltadas para profissionais, acadêmicos mães e pais.